Loading...
► Guarda móveis, guarda volumes e self storage na Zona Oeste de São Paulo - SP

Dicas de estocagem/armazenamento

Todos os dias, empresas de diversos segmentos precisam lidar da melhor forma com o seu estoque de produtos. Além de um espaço apropriado para fazer esse armazenamento,elas também devem fazer essa estocagem de maneira apropriada para que os volumes estejam sempre acessíveis.

No ritmo frenético do dia-a-dia, os itens precisam ser encontrados facilmente pelos funcionários, otimizando assim o tempo na hora de atender algum pedido ou cliente específico. E para conseguir esse objetivo, é sempre válido conferir algumas dicas para saber organizar o estoque da melhor maneira possível.

Aprenda a estocar e armazenar melhor os produtos

Uma prática muito comum executada por boa parte das empresas é a compra de um grande volume de produtos para conseguir os melhores preços no mercado. E é a partir desse momento que vem a pergunta: qual é a melhor maneira de fazer essa estocagem?

Em alguns casos, as companhias não possuem espaço suficiente em suas instalações para armazenar grandes compras, logo, o barato pode sair caro. Para evitar este tipo de problema,uma alternativa eficaz é contar com o serviço de self storage, onde a empresa poderá alugar um espaço apropriado para gerenciar o seu estoque. Porém, mesmo nesses casos, quem aluga é responsável por toda a organização dos produtos. Outro ponto importante está relacionado à limpeza, pois os estoques precisam seguir regras básicas, e as normas variam de acordo com o produto a ser armazenado.

Vale lembrar que, no caso das empresas que optam pelo self storage, as mercadorias destinadas ao armazenamento não poderão ser perecíveis, ou seja, aquelas que precisam de uma temperatura abaixo da ambiente.

Aprenda como organizar melhor os seus produtos:

  1. Organizar o estoque e seu espaço

Mesmo tendo um local apropriado, é fundamental otimizar o ambiente. O espaço localizado entre as prateleiras, assim como os corredores onde os funcionários circulam, precisam ser pensados de acordo com o tamanho das peças a serem guardadas, pois facilita o manuseio dos produtos. Também é necessário pensar quando for feito inventário, manutenção e limpeza.

  1. Identificar as prateleiras e corredores

Dependendo da quantidade de produtos armazenados, e do volume de arquivos, é preciso colocar uma identificação em cada um dos corredores, e o mesmo vale para as prateleiras. Os nomes precisam ser legíveis e apresentados em um tamanho apropriado para que fiquem bem visíveis. Isso fará com que o seu reconhecimento seja mais prático, preciso e rápido.

  1. Categorizar os produtos

Dependendo do produto, é necessário separar por tamanho ou tipo. Dessa maneira as prateleiras devem agrupar objetos de tamanhos semelhantes,Na prática, isso significa que peças pequenas precisam ficar juntas em determinadas prateleiras. O mesmo vale para as peças médias e maiores.

  1. Identificar todos os produtos

É necessário criar um padrão de identificação para todos os produtos, e esse sistema precisa ser conhecido por todos os funcionários que irão trabalhar diretamente com o estoque, como, por exemplo, quantidade de produtos no estoque, código, consumo mensal, número máximo de produtos do estoque, entre outros padrões de acordo com cada tipo de empresa.   

  1. Posicionamento estratégico de cada produto

As empresas costumam saber quais produtos ou itens que possuem maior saída para os consumidores, logo, uma maneira mais efetiva de organização é dar prioridade para esses produtos no momento da organização. Ou seja, eles devem ser posicionados de maneira estratégica para que sejam visualizados de uma maneira mais rápida. Outra dica importante é sempre colocar os produtos mais pesados nas prateleiras mais baixas, e os mais leves naquelas mais altas. Aqueles que possuem pouca saída também deve ser colocados na parte alta.

  1. Controle efetivo dos locais vazios

As posições vazias precisam ser monitoradas regularmente. Isso irá fazer com que o espaço seja melhor aproveitado, sendo que podem ser colocados novos produtos, inclusive as novidades do mercado.

  1. Controlar os produtos obsoletos

Produtos que têm pouca saída devem ser muito bem monitorados pela empresa para que não haja nenhum tipo de prejuízo. Esse material precisa ser identificado, colocado no sistema e contabilizado, a fim de que não ocupe um espaço extra que poderia ser muito bem utilizado por outros produtos mais lucrativos.

  1. Ambiente seguro e livre de calor excessivo ou umidade

Independente do tipo de produto, manter sempre uma temperatura ambiente confortável é fundamental, pois isso evita o calor excessivo, que pode prejudicar de alguma maneira os produtos. O mesmo vale para a umidade, que também deve ser evitada a qualquer custo. Por esse motivo, antes de começar a organização, é fundamental verificar esses pontos.

  1. Reserva de produtos com alto giro

Como mencionado acima, alguns produtos possuem alto giro, e ter uma área específica para eles pode se mostrar muito efetivo. Inclusive, essa área poderá ser considerada como uma fonte de economia extra para a empresa, pois esses itens poderão ser comprados em maior quantidade, conseguindo assim bons descontos.

  1. Estratégias de gestão de estoque

Planejar a disposição de cada produto e saber exatamente o local onde cada peça deverá ser colocada não são os únicos pontos que devem ser levados em consideração na estocagem. Também é fundamental saber quais os produtos que precisam ter sempre em estoque, a média de quantidade de cada um desses produtos, além do momento em que as reposições deverão ser feitas. Assim, a empresa saberá melhor o que comprar e também a quantidade certa a comprar.

Essas são apenas algumas dicas de estocagem básicas, sendo que outras poderão ser incorporadas de acordo com o tipo de produto vendido pela empresa. Vale lembrar que uma armazenagem bem feita garante a durabilidade de produtos e mercadorias, porém, quando feita de maneira errada, poderá acarretar muitos prejuízos. Vale a pena também levar em consideração as recomendações dos fornecedores e fabricantes, pois, em muitas vezes, a empresa que vende não é a mesma que produz.

Essas orientações irão garantir que todos os requisitos foram levados em consideração, e tudo pode contribuir para o melhor aproveitamento de todos os benefícios desses produtos. Dessa forma, é possível garantir também maior qualidade para os clientes finais, que receberam um item com todos os requisitos necessários para o seu bom consumo, uso ou funcionamento.